Pesquisar este blog

7 de out de 2011

Admito: sou Ateu! _ por Lucas Gonzaga





Um "Deus", na minha adolescência, veio a mim na maior cara mal lavada e me disse:


_ Dar-te-ei tudo isto se, prostrando-te diante de mim, me adorares.(Mt 4) Creia no que eu estou te falando: É só determinar em meu nome que tudo lhe será feito!

_ Mete o pé retardado, respondi ao maldito.

"Deus" que costuma dominar a América do Sul e tem crescido a cada dia mais, pregando a Teologia de Midas no meio evangélico, em certas afro-religiões e ainda em mais outras. Não, esse cara está brincando com a pobreza da Minha Gente, aproveitando-se do desespero alheio para, prometendo mundos e fundos, enriquecer-se. Não acredito nesse "Deus".

Se na palavra atheos, o prefixo "a" é uma negação e a palavra "theos" significa "Deus", não hesito em admitir que, do "Deus" citado acima eu sou ateu!

Vejo um "Deus" no mundo que cisma em fazer guerra. Na mitologia grega o encontraremos com o nome de Ares, contudo hoje em dia podemos encontrá-lo sendo chamado mesmo de Deus ou Allah. Dois grupos os defendem. De um lado os Evangélicos Fundamentalistas, americanos em sua maioria, do outro, Islâmicos Fundamentalistas, tendo sua maior representatividade no grupo Al Qaeda. Os americanos fundamentalistas acham-se o Novo Israel, o país escolhido por Deus para policiar o mundo.

Ridículo é pensar que violência serve para resolver problemas. A frase "Violência gera violência" não é mero clichê, frase batida. É simples, concisa e verdadeira! Sempre que um grupo que se levanta como herói, armados, para desbaratinar outro grupo que chamam de opressor, chegam ao poder e passam a oprimir. Duvida disso? Mas é tão simples caro leitor. O axioma é simples: quem pela arma mata pela arma morre. Entenda que sempre que um grupo chega ao poder usando de violência, procurará fortificar-se mais ainda, imbuídos de medo, impelidos pelo pavor, pois sabem mais que todos que provavelmente outro grupo se levantará contra eles. Portanto, um "Deus" que promove guerra não é mais minha praia. Este sujeito venerado por muito é sádico, alegra-se em ver batalhas e mais batalhas.

Tenho que admitir: deste "Deus" sou ateu!

Outro caso interessante é o do meio evangélico., meio aliás, em que vivi desde que nasci. Volta e meia um evangélico de bom coração, encucado, sempre se pergunta o porquê de tanta divisão entre evangélicos. Por que tantas denominações? Ao invés de entender que dividem-se por, novamente, busca de poder e dinheiro, como mecanismo de defesa começam a fantasiar que não foi a toa, que Deus fez isso para que as pessoas possam escolher conforme combine mais com elas, e outra respostas mais com essas características. Que no final das contas é o mesmo Deus que está em todas as igrejas, é o que dizem.

Esta aí algo que não encaixa em minha cabeça! Pensemos: Se no fim das contas todas estas denominações têm o mesmo Deus em comum, por que têm ensinamentos e interpretações diferentes sobre os mais variados assuntos bíblicos? Não bastando a confusão, lançam livros, folhetos ou mesmo em púlpitos acusam-se entre si que o ensinamento da outra é heresia. Porém todas elas defendem-se dizendo que está na bíblia e que foi revelação de Deus através de seus livros sagrados.

Convenhamos: Um "Deus" que "revela" ensinamento a todas estas denominações, e "revela" que a do outro é errado, é no mínimo meio maluco. Pois primeiro ele "revela" ensinamentos diferentes e depois acusa de ser heresia os tais ensinamentos que revelou! Ou este tal "Deus" é louco, ou os evangélicos não têm o mesmo "Deus". Fico com uma terceira alternativa: Há espertalhões em qualquer local do mundo, gente com sede de dominar a outra!

Admito: sou ateu desse "Deus" aí! Que louco! Esse "Deus" discorda de si mesmo e dizem que ele é infalível!




Procura-se um Deus que não sugue, que ame de fato. Procura-se um Deus que trate das pessoas. Que seja amor, que seja o fogo consumidor que consuma os males e não o ser, e não a pessoas, que consuma a pobreza, que consuma a alma triste, que consuma a perseguição do perseguido, a morte do morto e a do matador e não matador em si. Precisa-se de um Deus que salve as pessoas mesmo que elas não mereçam, pois sabe que não tem como merecer diante de um alto padrão divino. Procura-se um Deus que vire a outra face quando recebe um tabefe, que ande a segunda milha quando lhe exigido, que dê a túnica quando o obrigam. Não quero esse tal de varão de guerra que ouço por aí que mais me parece um terrorista, que a “mão vai pesar”. O cara toda hora se vinga, não é tardio em irar-se, qualquer coisinha sente-se ofendido parecendo-se assim mais com um ser humano do que com um Deus! Um Deus assim eu não quero, desse Deus sou ateu! Fui aceito por Deus que diz esquecer meus erros, que leva um “lero” comigo tranquilamente, expressando sua dor sobre pobreza, miséria, sobre a confusão humana.  Procura-se um Deus que acolha os pobres e não um que diz que "se os pobres são pobres é por que estão em pecado". Maioria são pobres é por motivo da ganância de outros! Um Deus que me move com um doce constrangimento diante de seu amor que nada quer em troca, fando-me andar, por mais que eu seja rebelde, numa violenta pacificação e em seu furioso amor que ama a qualquer preço!

Lucas Gonzaga

Fica a sábia frase do Cristão Libertário Liev Tolstói:


Liev Tolstói
    "...As igrejas, como igrejas, não são instituições que têm por base um princípio cristão, ainda que um tanto desviado do caminho certo, como pensa um grande número de pessoas. As igrejas, como sociedades afirmadoras de sua infalibilidade, são instituições anticristãs. Não só nada existe em comum entre as igrejas e o cristianismo, exceto o nome, como seus princípios são absolutamente opostos e hostis. As primeiras representam o orgulho, a violência, a sanção arbitrária, a imobilidade e a morte; o outro representa a humildade, a penitência, a submissão, o movimento e a vida.
 
     Não se pode servir ao mesmo tempo a estes dois senhores: é preciso escolher um ou outro..."  




Dar-te-ei tudo isto se, prostrando-te diante de mim, me adorares.
Mateus 4:9
Dar-te-ei tudo isto se, prostrando-te diante de mim, me adorares.
Mateus 4:9
Dar-te-ei tudo isto se, prostrando-te diante de mim, me adorares.
Mateus 4:9

2 Comentários:

Maite Santamarta. disse...

Muito bom o texto de Lucas Gonzaga. Ainda que eu continue atéia de qualquer deus pois, se ele não tem poder ou vontade de acabar com o sofrimento humano e de tantas espécies de animais, não me serve para nada.
Acredito que deus é o nome que damos aos nossos medos, nossa ignorância e nossa incompetência.

Preso por fora disse...

Maite, sou membro da Liga Humanista Secular, mais de 1000 membros ateus. Temos boas coversas lá! Ainda não encontrei ninguém que tenha religião na liga, acho que só eu mesmo! rs


Minha opnião sobre isto é simples. Se um filho meu escolhe um mau caminho, não tenho muito o que fazer além de desesperadamente dialogar com ele. Ele estará prejudicando a si e a outros e os males que vem a ele são apenas consequências. A humanidade tem que evoluir sozinha, temos que crescer responsavelmente, dialogando. Talvez iremos aprender isso quando os recursos do mundo forem obrigados a ser divididos por estarem escassoz. Será uma boa oportunidade e talvez a última.

Quer saber quando você faz algo a Deus?

Mateus 25:40

Pois eu tive fome, e vocês me deram de comer; tive sede, e vocês me deram de beber; fui estrangeiro, e vocês me acolheram;

necessitei de roupas, e vocês me vestiram; estive enfermo, e vocês cuidaram de mim; estive preso, e vocês me visitaram’.

"Então os justos lhe responderão: ‘Senhor, quando te vimos com fome e te demos de comer, ou com sede e te demos de beber?

Quando te vimos como estrangeiro e te acolhemos, ou necessitado de roupas e te vestimos?

Quando te vimos enfermo ou preso e fomos te visitar? ’

"O Rei responderá: ‘Digo-lhes a verdade: o que vocês fizeram a algum dos meus menores irmãos, a mim o fizeram’.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores


Mais Jogos no Jogos Online Grátis - Jogos de Meninos