Pesquisar este blog

21 de jul de 2011

Chris Enio em: Como dizer o que se passa comigo, sem dizer? _ Parte I

                                                Igreja e praça

 Parte I AQUI  Parte II AQUI    Parte III AQUI  Parte IV AQUI   Parte V AQUI  Parte VI AQUI Parte VII AQUI

_ Amém, amém e Graças a Deus!- Gritou o Pastor encerrando o culto. Ainda ocorrendo o grito enlouquecido e, quase ensurdecedor, emerge os aplausos dos espectadores que dali, um local aconchegante, iam para suas casas, alvoroçados, tamanho êxtase do que acontecera ali.

        Chris Enio andando em direção a porta da igreja: pensava e pensava. Saiu reflexivo. Despediu-se dos colegas religiosos e seguiu andando para casa. Estava triste, pois não foi curado do mal que lhe infligia o punho. Dor infernal sentia. Indagava a si mesmo se estava desprovido de fé, pois foi ensinado que sempre que estivesse com fé e a usasse, o que ele quisesse lhe seria dado por Deus. Estava sendo humilde, pois sabia que cria em Deus e o estimava como um amigo íntimo, com todo o respeito. Tinha certeza que acreditava em Deus, mas não entendia o motivo de não ser curado, embora que ao mesmo tempo Chris Enio imbuído de esperança, lembrava o que foi lhe ensinado neste dia de culto. Pensou em começar a praticar “o poder da Palavra”, recordando-se apressadamente também sobre não proferir palavras negativas, pois fora ensinado naquele dia que se muitos males lhe acontecia, seria por que ele mesmo provocava a si tal mal. Lembrou do exemplo que o Pastor tinha usado, que se falasse “Eu não presto, eu não sou feliz” estaria atraindo um demônio a si que se encarregava de cumprir o que ele tinha proferido.  

        Ainda no caminho para casa, sem mais nem menos Chris Enio lembra-se de seu antigo amigo e de como se divertira com o amigo em um carnaval. Fora persuadido de que o amigo era “do mundo”, “das trevas”, “má companhia” para um cristão. Foi o que lhe disse seu “Líder espiritual”. Afastara-se de seu amigo Pedro, logo ao entrar para a igreja. Conhecia Pedro como ninguém, pois conheciam-se desde ainda pequenos. Suas mães eram amigas antes de nascerem. Sabia em seu íntimo que Pedro era uma boa pessoa, sem querer admitir esta hipótese , é claro pois não queria entrar em contraste com o que seu pastor um dia lhe dissera ao ter apresentado o amigo a igreja, o seu pastor o ”revelou” em “mistério”, rodopiando e pulando que Pedro era usado pelo Diabo para desviá-lo dos “caminhos de Deus”.

         Após 15 minutos de caminhada, ainda voltando da igreja, faltando-lhe ainda metade do percurso para chegar em sua casa, cansado, reflexivo e desatento , pôs-se a sentar em um dos bancos de uma praça com árvores grandes e de topografia de característica inclinada, onde, mesmo tendo em vista a hora um pouco avançada para estar nas ruas da  cidade do Rio de Janeiro, encontravam-se idosos aos montes, alvoroçados, jogando dama. No banco, Chris Enio, apoiou os cotovelos sobre as coxas e com testa debruçada sobre as mãos cerradas, percebeu-se com a frase de seu amigo, Pedro, martelando-lhe na mente. A frase o ofendia, mas não saia da mente:

_ “Religião que separa amigos não leva a Deus, leva ao Ódio a Guerra, a Intolerância"

        Pedro lhe disse isto mansamente, contudo perceptivelmente consternado, com lágrimas preenchendo seus olhos. Essa conversa ocorreu quando Chris Enio influenciado por um de seus líderes, disse a Pedro que não mais o procura-se, pois agora “seguia os caminhos do Senhor” e não poderia mais andar com ele, pois Pedro era "ímpio".

        Enquanto Chris Enio lembrava-se do amigo, de Pedro, de modo muito distraído, cabisbaixo, pensado se talvez havia feito algo de errado, e precipitado, se de repente o Pastor errou,etc., também nem gostava de ter pensado sobre se o Pastor pudesse ter errado, pois fora ensinado que duvidar da autoridade do pastor era pecado e que muitos demônios podiam-lhe possuir se ficasse duvidando de sua “cobertura espiritual”. Enfim, enquanto tudo isso lhe ocorria na mente de forma rápida, tensa e intensa, aflita, Pedro, o amigo em que Chris Enio pensava, passava pela mesma praça. Pedro passava por um local escuro, porém também muito distraído, triste pensado no mesmo assunto: Chris Enio, sua religiosidade e a falta que sentia do amigo. Depois de Pedro ter passado sem ambos se perceberem, Chris Enio resolve levantar-se e continuar o percurso para casa. Chris Enio chegando quase a uma esquina, repentinamente olha para trás e vê Pedro quase chegando em outra esquina, virou com raiva e seguiu seu percurso imaginando com raiva por que Pedro nem lhe dera um simples “oi”, por que passou direto. Da mesma forma, logo após, Pedro olhou para trás e viu Chris Enio quase virando a esquina da outra ponta. Já Pedro ficou triste pensando que a religião já tinha corroído o bom-senso de Chris, a educação e as virtudes que Pedro conhecia em Chris, pois nem cumprimentar-lhe mais Chris estava fazendo.

        Ambos estavam distraídos e pensando que o outro passou e decidiu por inimizade não falar. Para Pedro, o efeito que deu foi o de ficar mais preocupado com o amigo. O efeito para Chris? Confuso e atordoado, estava convicto de que aquilo que ocorrera era um sinal de Deus para que não mais duvidasse da autoridade de seu “líder espiritual”. [...]


                                                    ***  ***  ***  ***  ***  ***


To be continued - Continua

Lucas Gonzaga

5 Comentários:

:: baLdiM :: disse...

Interessante, aguardando a continuação...

Preso por fora disse...

Obrigado, valeu pelo comentário. Quarta-Feira que vem estarei postando, se puder divulgue de alguma forma, ok? AObrigado, abraços!

Carlos disse...

Parece mais um conto sobre a terrível e maldosa igreja denominacional onde o horrível pastor prega o controle absoluto sobre os pobres e coitados membros que não pertencem a uma consagrada igreja reformada. Tô fora!

Preso por fora disse...

Lucas disse: Ôh mania desse povo de dar parecer sem conhecer. Carlos se lêsse a Parte V diria que é mais um conto de currupção e descaso no Rio de Janeiro... e de parte em parte diria algo diferente. Se quiser tirar uma conclusão mesmo, tire do todo. Chris Enio é um dos personagens... esta é apenas a primeira parte... Abraços! Tem mais 4 além dessa que leu, e segunda que vem virá a 6ª parte fechando o primeiro capítulo...

Preso por fora disse...

Carlos, uma observação: sou reformado.

Leia isto:

http://presoporfora.blogspot.com/2010/10/simplista-mas-acredito-que-tenha-valor.html

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores


Mais Jogos no Jogos Online Grátis - Jogos de Meninos