Pesquisar este blog

19 de mai de 2010

Senhor do tempo

.


        Jamais estive sequer uma vez no outro dia, alías, ele não existe (pelo menos pra mim). Cada dia basta o seu mal. Compete ao ser humano viver como se estivesse livre arbítrio e relacionar-se com um Deus em totalidade, Soberano. Pode até parecer incoerente, mas não o é, apenas contradições de frases e textos, mas não uma contradição na essência existecnial.


      Viver a cada dia como se o outro não tivesse sido escrito, não tivesse sido catalogado, pré-determinado e ter certeza de que o amanhã nunca existirá para nós, mas quando o amanhã- que só o é para Deus- se manifestar, somente será o nosso hoje novamente. Uma vida sem o amanhã e o amanhã sem a Vida pode gerar desespero, contudo óbvio é que, pensar na vida com o dia seguinte pré-determinado poderá ocasionar em irresponsabilidade. O predetermimado sem Vida, ocasionará em inexsitência!

       Quando o próximo momento se manifesta, deveras é que é novamente o presente, o agora, uma seqüencia do ontem, uma conseqüencia de ações e reações, logo um conjunto de seqüencias, uma conseqüencia. Daí se faz a história, aquela que não se conta tanto com o amanhã. Repito explicitamente: Não se "conta"!

     " A hora vem, já chegou e não para de continuar chegando e passando. Lá vai o tempo e o que eu escrevi na linha de cima era um momento atual, mas agora ficou para trás. Por mais que eu faça a mesma coisa todos os dias, nunca será a mesma coisa, o mesmo momento e da mesma maneira!"

     É deveras certo que se o nosso comportamente realmente for contralado por 50% de nossa genética como diz o pessoal da sociobiologia, e os outros 50% pelos " meios", pela ambiência, clima, tempo,condições como afirmam os psicólogos, então pergunto: onde há espaço para o livre arbítrio?

         O amanhã só existe para Deus, pois o mesmo é onipresente, sua presença grandiosa se faz em todo lugar, nas mais mínimas partículas, mas pode ser de forma invisível e não necessariamente ocupando espaços. Deus, O gigante-pequeno, O infinito-finito e O finito-infinito. Deus que não usurpou ser Ele mesmo, que abriu mão de ser em magnanimitude para ser limitado dentro de carne e sangue. Deus deixou-se estar como um pequenino bebê em cuidados de de seres totalmente depravados... bom, acho que estou delirando! Se fui predestinado a escrever isto, logo então não sou o responsável e culpado pelas incoerências e incompletudes. Se escrevi com livre arbítrio peço a Deus que me perdoe, mas Ele sabe que sou forasteiro em terra de forasteiro, que sou pecador onde quem pensa em matar, somente pensa em matar, já é considerado por Deus como assassino!


        Não há diferença, pois todos caíram e estão igualmente longes de Deus, o mais justo não está mais próximo de Deus que o injusto! Graças pelo nosso Senhor que resolveu nos salvar em seu tempo, que a cada estrito momento é tenasmente infinito e cada infinitude é apenas uma partícula limitada na existência de Deus! Graças, porque não há possibilidades de merecimento - até por que se houvesse, de fato Deus não seria Deus, mas apenas "d*EU*s"-. Graças, porque não serei salvo por nenhum mérito, posto que não há possibilidades de merecimento por qualquer atitude seja a da mais planejada e caprichada que seja. Graças, porque minha salvação foi paga, onde nem o tempo e o contratempo podem me separar de Deus. Graças, porque a Graça é de graça e sem a mesma, minha vida não teria graça...



Lucas Gonzaga

0 Comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Seguidores


Mais Jogos no Jogos Online Grátis - Jogos de Meninos